A Rotina Bēng Bù Quán

A rotina Bēng Bù Quán (崩步拳), que significa “Passos Esmagadores”, é a primeira forma do estilo Louva-a-Deus ensinada em nossa Associação, assim que o aluno atinge a 2ª Fase (faixa verde).

Pronúncia no dialeto oficial Mandarim (Bēng Bù Quán)
Pronúncia no dialeto Cantonês (Bang1 Bou6 Kyun4)
Como escrever

O estilo Louva-a-Deus mistura movimentos rígidos e suaves, mas por ser uma rotina básica, o Bēng Bù Quán enfatiza os movimentos mais rígidos (que são mais fáceis de se aprender).

Assim como as outras rotinas, o Bēng Bù Quán é executado de forma contínua, do começo ao fim, e sempre com os punhos expressando sua força, características estas que diferenciam o Louva-a-Deus de outros estilos.

As técnicas do Bēng Bù Quán são sucintas e descomplicadas, abordando ambos os lados direito e esquerdo igualmente, alternando bem entre fintas e ataques reais, e incluem saltos e movimentação constante.

O sistema utilizado pela nossa Associação (Liú Xiǎo Hēi) divide esta rotina em 23 comandos, facilitando o aprendizado, o treino em grupo e a apresentação desta bela e impactante rotina em campeonatos e eventos.

Após saber executá-la com grande habilidade, o aluno aprende 9 aplicações, que são executadas com um parceiro. Já na 3ª Fase (faixa azul), o aluno aprende uma Luta Combinada (Duì Liàn), também executada em 2 pessoas. Com isso, o aluno alcança o entendimento de como aplicar cada uma das técnicas de mãos e pés presentes na rotina.

O livro “A Rotina Bēng Bù Quán – Revisada” (重訂崩步拳) escrito por Huáng Hàn Xūn (黃漢勛, 6ª Geração) e publicado em 1955, descreve cada uma das 47 posturas, como ensinadas por Luó Guāngyù (羅光玉, 5ª Geração), e explica o segredo de se aprender as técnicas em 3 estágios:

  • Entendimento: o treino da execução da rotina, até que cada movimento, postura, ataques e defesas sejam compreendidos totalmente, revelando assim a verdadeira essência das técnicas.
  • Separação: se colocar do outro lado, fazendo a parte do oponente, o que gera uma consciência ainda mais refinada de como as técnicas são aplicadas.
  • Desconstrução: trabalhar as técnicas individualmente, de forma que os movimentos possam fazer a transição livrementes, ao invés de estarem atrelados com a sequência estipulada na rotina.

Resumindo, (1) o Entendimento leva à compreensão de cada movimento, (2) a Separação solidifica o entendimento, e (3) a Desconstrução leva a uma combinação infinita de movimentos.

Post Anterior

4 Comentários

Diga-nos a sua opinião.

  1. Flávio Giacomo

    Esse taolu é realmente marcante, é um dos meus preferidos!

  2. Renato Solarenco

    Mto interessante! De fato este taolu é símbolo do estilo louva a deus. Um conhecimento valioso temos em nossa escola!

  3. Barbara Beatriz Sant'Ana Garcia

    Incrível a explicação!

  4. Carolina Marcondes de Carvalho

    Incrível a história! Sempre gostei desse taolu, mas não tinha o conhecimento desse livro.
    O Pam pou kiue (como aprendemos na nossa escola) é um taolu tão famoso, que conheço inúmeros alunos de outros estilos que tem o desejo de aprender.

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*